Receber reconhecimento – 認めてくれる

Oi oooi 🙂 Como estão as coisas por aí? Espero que bem bem!

Essa semana eu quero compartilhar um pouco sobre um assunto que vem me incomodando há um tempo.

“Será que alguém vê tudo o que eu faço?”

“Será que alguém consegue ver o tanto que eu estou me esforçando?”

Se você já se perguntou isso ou já se sentiu frustrado por ninguém reconhecer tudo o que você tem feito, esse texto pode ser um bom texto pra você 🙂

Quem vê todo o meu esforço?

Será que ninguém está vendo tudo o que eu tenho feito?

Há um tempo atrás eu postei um texto sobre “pra quem nós fazemos o que fazemos” e que mudou muito a forma como eu enxergo o mundo.

Mas depois de um certo tempo umas outra coisa começou a incomodar o meu coração:

RECONHECIMENTO

Eu não estou falando sobre fama mas sobre alguém ver o que temos feito. É um pouco confuso, eu sei hahaha mas calma que vai fazer sentido.

Você já sentiu como se ninguém visse tudo o que você faz? Que você tem se esforçado muitão mas que no final ninguém sabe de tudo o que você tem feito e o quanto você tem se esforçado.

Será que é errado querermos que as pessoas vejam o que temos feito?

Não sei a resposta para esta pergunta, MAS o que eu sei é que existe alguém que nos vê o tempo todo! (O que tem seu lado bom e o lado ruim).

Deus, o criador de todo universo, que também te criou nunca deixa de olhar pra você!

Eu gosto muito de uma história na Bíblia sobre uma mulher chamada Hagar, que sofria muito com a sua chefe.

Por não aguentar mais o sofrimento, Hagar fugiu e acabou no deserto, desamparada, ela e o filho (um bebê).

Mas ali, ela encontrou Aquele que a vê!

Este foi o nome que ela deu ao Senhor que lhe havia falado: “Tu és o Deus que me vê”, pois dissera: “Teria eu visto Aquele que me vê? ” Gênesis 16:13

Se você sente que ninguém tem visto o seu esforço, saiba que o Criador do universo te vê o tempo todo! Ele vê quando você está feliz, quando está triste, quando está a mil e quando o desânimo bate.

Você não está só, o Senhor te vê 💙

Em amor, Dory 💙

Eu não sei pintar – Conto sobre redenção

Oi oooi 🙂 Como vão as coisas por aí?

Eu acabei atrasando o texto da semana porque eu jurava que tinha postado mas me toquei hoje que não tinha HAHAHA.

Mas hoje eu quero compartilhar com vocês um conto que eu escrevi para um concurso 🙂

Espero que gostem!

Eu não sei pintar

Eu tenho um hábito, o hábito de caminhar. Mas eu caminho por um lugar diferente chamado Internet.

Durante as minhas caminhadas, encontro vários artistas talentosos. Apesar de eu gostar de caminhar, toda vez que eu faço este passeio eu fico triste. O motivo da minha tristeza é simples: eu não sei pintar.

O mundo está repleto de pessoas incríveis e eu fico triste porque eu não sou uma delas. E é por isso que eu fico triste depois das minhas caminhadas. Se eu fosse como as pessoas que encontro, certamente eu seria mais feliz e as outras pessoas também, porque eu conseguiria mostrar a qualquer um as belezas que encontrar pelo caminho.

Esta vista está tão linda… mas logo ninguém mais poderá vê-la. A cada segundo que se passa esta paisagem se desfaz e ninguém nunca mais poderá apreciá-la. E isso tudo porque eu não sei pintar.

Queria que as pessoas vissem o que eu vejo aqui nesta janela. Queria que as pessoas soubessem o quanto as nuvens estão macias hoje, como a forma que o sol reflete nela destaca cada curva única…

Queria que as pessoas soubessem o quanto cada casinha ao longo do horizonte é peculiar e especial do jeito singular que foi construída.

Mas eu não sei pintar e minhas fotos nunca saem como eu quero. Ah, se eu fosse uma pintora ou uma fotógrafa…

Talvez se eu fosse como essa moça simpática da Internet que dá a luz a tantas ilustrações lindas, o mundo não perderia uma vista tão bonita quanto esta.

De repente me encontro num lugar completamente desconhecido que eu sequer consigo descrever. E a minha frente há uma pessoa. Então, com uma doce mas firme voz ouço:

“Por que você quer o que eu dei para outras pessoas? O presente que eu te dei não é o suficiente”

Como assim?

“Eu te criei e achei que era muito bom. Cada detalhe, cada dom e talento, a forma como você se expressa. Porque você quer ser igual aos outros, sendo que Sou Eu quem cria e escolhe quais habilidades dou?”

Por que eu sou diferente? Por que não posso ter tanto talento quanto eles?

“Você tem, só não procurou no lugar certo. As habilidades servem para mostrar a minha glória, a caso só existe uma forma apontar para mim?”

. . .

“Eu te dei algo maravilhoso, não rejeite o que eu te dei só porque você quer a glória para você.”

Depois de ouvir estas palavras, lágrimas saltaram dos meus olhos como um balde transbordante que já não suporta mais a goteira da casa.

O meu anseio de ter tanto destaque quanto aqueles que eu admirava me cegou do dom que me foi dado. Estava tão ocupada com o que os outros tinham que ignorei meu próprio presente.

Enquanto me ocupava me lamentando pela glória que não tinha, esqueci de dar glória ao Único merecedor dela.

Eu não preciso ser uma pintora, nem fotógrafa nem qualquer outra coisa. Cristo me fez exatamente como sou e graças a Ele já não desprezo aquilo que Ele me deu.

Cristo me fez uma nova obra. Minha identidade foi redimida.

Blup!

Desperto com o som do balde transbordando da goteira do meu quarto.


E é isso! O que você achou do conto? Espero que tenha de alguma forma te impactado ❤

Em amor, Dory ❤

Continue a nadar – 続く

Oi oooi! Eu fiquei um pouco sumida mas aqui estou de novo ❤

Dessa vez quero compartilhar um pouco sobre como um fui (re)lembrada que o importante é não parar e continuar a nadar.

A dificuldade

Eu sei que parece óbvio, mas para se seguir em frente, parar ou desistir não é uma boa escolha.

Eu tenho sentido um pouco de dificuldade de continuar o meu caminho aqui na internet. Eu amo produzir conteúdo, conhecer pessoas novas e ter o cardume junto comigo.

Maaaas

O que me paralisou

A caminhada como produtora de conteúdo, nos últimos dias, estava me angustiando muito. Eu estava angustiada porque minha mente estava cheia de coisas, muitas, e isso me paralisou.

Eu estava tão preocupada com o que queria fazer para chegar no meu alvo que não percebi que tinha parado de caminhar.

Estava tão preocupada com as coisas que esqueci que o mais importante era não parar.

O medo de não alcançar o que eu estava buscando, o temor de ver algo tão grande que eu almejava me fez pensar que eu não conseguiria chegar lá. E eu esqueci de continuar.

O que realmente importa

Mas eu encontrei Alguém que me lembrou o que é mais importante. O mais importante é continuar, continuar a nadar.

Filipenses 3:13-14

Em amor, Dory ❤

絆 (きずな) – Laços entre pessoas

Relacionamento interpessoais não são fáceis, não é mesmo? Apesar de ser algo essencial a nossa existência não significa que é fácil.

Por quem você tem vivido?

Pessoas são diferentes, e o coração humano é, muitas vezes, duro como uma pedra.

Eu tenho o péssimo vício de viver em função dos outros: fazer o que esperam que eu faça, não fazer o que for irritar/chatear ou então abrir mão de algumas coisas que são importantes pra mim para agradar o outro.

Amar o próximo é, com certeza, ter que abrir mão, dar a outra face. Mas o mais importante de tudo é o “para quem você faz”.

Por quem você tem vivido?

Você tem vivido pelos outros? Por você mesmo?

A vida que vale a pena

Eu descobri alguns anos atrás que a única vida que vale a pena ser vivida é uma vida por Cristo (e você é livre pra discordar de mim).

Quando eu vivo meus relacionamentos para (e com) Cristo, tudo faz mais sentido e fica mais leve (mas não tudo seja um mar de rosas ou minha vida seja perfeita e sem problemas).

Porque Ele é o próprio amor, Ele é a justiça e Ele é vida abundante. E quando eu abro mão por amor, faço isso por Deus, que me dá amor para amar um outro alguém e não para viver par outra pessoa.

O meu próprio amor, humano, é falho e só faz o meu coração ficar ainda mais pesado e machucado.

Não vou fazer algo por alguém porque preciso do amor dela ou porque eu não suportaria o ódio, mas porque eu fui amada primeiro por Aquele que é o próprio Amor.

E você? Como são os relacionamentos na sua vida?

許し – O perdão nunca é merecido

Quando você erra, machuca ou então falha com alguém, o que você faz?

Não se preocupe, este post não é sobre a diferença entre “perdão” e “desculpa”, mas sobre como em ambos os casos não é sobre merecer.

Um pouco sobre o meu problema…

Quando eu percebo que fiz algo de ruim pra outra pessoa acabo num ciclo infinito de pensamentos torturantes mais ou menos assim:

“Será que essa pessoa me odeia agora? E se ela nunca mais quiser conversar comigo?”

E por causa desses pensamentos fico num desespero tão grande de perder a pessoa que coloco ela num pedestal…

Outra coisa que sempre acontece comigo é a sensação de que eu não posso simplesmente aceitar o perdão de alguém, que eu PRECISO compensar meu erro e voltar a merecer o amor, a amizade e o relacionamento.

O que aprendi sobre perdão

Depois de pensar bastante sobre o assunto e conversar com Deus, conclui que todos esses pensamentos não são verdades, e resolvi substituir esses pensamentos pelas seguintes afirmações:

🐟 Quando eu cometer algum erro, me lembrar de colocar o peso adequado. Nem mais, nem menos.

🐟 As pessoas também demonstrar amor por mim sendo misericordiosas e graciosas!

🐟 Caso alguém não esteja disposto a viver um relacionamento misericordioso e gracioso, eu não devo me desesperar, talvez não seja uma amizade saudável para se cultivar.

Pra finalizar vou deixar a melhor definição de amor que existe 💙

“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” 1 Coríntios 13:4-7

A falha e a leveza

Qual sentimento a palavra “falha” causa em você? 🌊

Eu e o meu momo somos bem diferentes quando o assunto é lidar com falhas ou erros.

Eu sou extremamente rigorosa 😡 comigo mesma e com os outros enquanto ele leva tudo com mais leveza. 🍃

Sabemos que os dois jeitos ao extremo não são bons, MAS que um precisa aprender com o outro e a minha parte é aprender a viver com mais leveza. Você também tem essa dificuldade?

Eu vejo a vida com olhos muito rígidos, o que faz parecer que qualquer erro é o fim do mundo, sendo que se eu tratasse cada coisa com o seu devido peso tudo seria muito mais fácil e resolvido com menos gasto de energia. 🔋

Viver como se qualquer erro meu fosse destruir algo ou causar um desastre é muito desgastante. 😫

Mas eu encontrei a leveza que eu precisava 😎 (na verdade fui encontrada por ela hahaha)

Cristo é a resposta! ✝️

Aprendi que Ele é maior que os meus erros e que sempre estará comigo pra arrumar junto comigo as confusões que eu causar.

É como ter aquele amigo mais velho e forte que te ajuda em tudo e te defende dos valentões hahaha.

Certamente eu ainda terei dificuldade em viver uma vida mais leva, entretanto quero a cada dia dar um passo para esta vida que Deus me chama a viver, uma vida abundante e leve 💙

Quer caminhar comigo nessa jornada de aprendizado também?

O ciclo da experimentação

Chegamos na segunda semana do ano e a pergunta da vez é: como estão indo os seus novos hábitos?

No texto de hoje quero conversar um pouco sobre como lidamos com a frustração de “falhar” ao tentar começar um novo hábito.

Como lidar com os fracassos? É realmente possível aprender com os erros?

Começar (novos) hábitos

Eu odeio a pergunta do começo do texto porque sou péssima em manter algo a longo prazo 🤣

Sou muito mais o tipo de pessoas com picos de energia do que o tipo que mantém constância.

E esse ano, novamente (esta informação é importante), me propus a criar o hábito de me exercitar (ou em japonês fazer “undou”) e eu escolhi fazer caminhadas, porque é algo extremamente prazeroso para mim.

Comecei meio receosa porque costumo ir muito bem no começo mas desanimo e desisto antes de janeiro terminar.

Mas esse ano percebi que a forma como eu estava lidando com hábito de caminhar era diferente dos anos anteriores.

Reparei que estava mais constante e não mais com aquela super energia do começo. Por incrível que possa parecer eu estava com o pé no chão (literalmente também 🤣)

“O que eu fiz de diferente esse ano?” Eu me perguntei.

Aí me toquei que todas as experiências dos anos anteriores me ensinaram como melhorar!

Usei a palavra “experiência” de propósito, porque normalmente eu teria falado “falha”.

Tenho aprendido que a vida fica muito melhor quando vivemos o ciclo da “experimentação” e não o ciclo do “sucesso ou nada

Descobri que grandes empresas investem pesado em projetos novos experimentais e colocam a falha como parte do processo, ou seja, falhas programadas!

Elas fazem isso porque são com as falhas que nós aprendemos e aprimoramos algo.

O ciclo deixa de ser “ideia → execução → sucesso ou nada” para “ideia → execução → falha ou sucesso → aprimorar a ideia” e passa a ser um ciclo sem fim de aprimoramento.

Quando entendemos que a falha é apenas um recomeço que nos leva a um aprimoramento e não ao descarte de uma ideia, vivemos mais leves.

Conclusão da história: percebi que antes de começar a colocar o hábito de caminhar de novo em prática, eu tomei alguns cuidados com coisas que já sabia que me atrapalhariam, e graças a isso tenho conseguindo manter este hábito por mais tempo.

Toda essa conversa me lembrou sobre a Graça de Deus, sobre como Deus nos deu um novo começo em Cristo 💙

Agora estou curiosa sobre você!

Você também já conseguiu aprimorar algo com experiências passadas?

Como saber se sou (in)suficiente?

Já deixou de fazer algo por medo de falhar? Pois é, então “tamo junto” nessa batalha, toca aqui! 🙌

Como produtora de conteúdo eu tenho desenvolvido um hábito (até que bem divertido e legal) de estudar os conteúdos que consumo.

Ou seja, pensar como ele foi feito, porque e qual efeito causa na galera.

Foi aí que eu descobri que existem inúuuuuumero conteúdos bons, super simples e que conectam pessoas (a parte mais importante para mim).

Depois de perceber isso, refleti sobre quantas vezes deixei de postar algo porque achei simples demais ou porque não eram suficientemente bons para serem publicados.

E aí está o problema, a (in)suficiência!

Mas… O que define se algo é ou não (in)suficiente?

Refletindo e conversando com Aquele que é mais que suficiente em todas as coisas aprendi que algo é suficiente quando É.

Okay, ainda tá muito confuso, mas explicando melhor: quando eu deixo de fazer algo esse algo não se torna realidade, ele fica preso no que poderia ser e acaba não sendo, já aquilo que é (existe) mesmo que imperfeitamente, ele existe e de fato é.

“É o famoso feito é melhor que perfeito”

Quando penso sobre essas coisas me lembro muito do @tira.do.papel que fala que toda criação seria melhor no dia seguinte, mas se a gente sempre deixar pro dia seguinte esta criação nunca será criada.

Por isso este ano eu quero produzir conteúdo com mais coragem! Quero produzir imperfeitamente para imperfeitamente me conectar com vocês e isso é mais do que suficiente ❤️

(1 João 4:18-19)

Em amor, Dory

Será que podemos aprender alguma coisa com o BBB21?

Oi oooi 🙂 Como estão as coisas por aí? Por aqui eu estou começando a conseguir arrumar minha agenda hahaha. Bom, como você viu pelo título, hoje vamos conversar um pouquinho sobre Big Brother Brasil 21 (apesar de eu não assistir hahaha). E mesmo eu não assistindo, algumas reflexões me passaram pela cabeça e eu queria compartilhar no texto dessa semana 🙂

Aparência e Coração

Na edição 21 do BBB tivemos alguns participantes que são famosos (beeem famosos), um exemplo é a icônica Karol Conka. E muita gente ficou chocada com o comportamento de alguns deles, pois antes de entrarem na casa, passavam a impressão de serem pessoas X mas mostraram ser Y. E esse é justamente um dos problemas de viver vigiado, todos saberão se você está mentindo ou não sobre algo, além de fica mais difícil fingir ser alguém que você não é. Se eu fosse vigiada como os participantes são, certamente daria bem ruim, pois sei que estou longe de ser uma pessoa perfeita. Pensar sobre tudo isso me fez pensar sobre 2 versículos:

O Senhor, contudo, disse a Samuel: “Não considere a sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei. O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração”.

1 Samuel 16:7

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça.

1 João 1:9

Condenação

A quantidade de opiniões formadas a respeito dos participantes, que estão sendo monitorados o tempo todo, é gigantesca (dada a grande audiência do reality). Entretanto, a pergunta que me vem à cabeça é: será que nós, que julgamos o tempo todo as ações dentro da casa, somos assim tão melhores do que os participantes? Será que nós também não erramos em coisas tão ruins como eles mas nenhuma existe câmera para nos dedurar? Deixo um versículo que me desafia nesse quesito pra vocês também refletirem sobre isso:

“Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?
Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu?
Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.

Mateus 7:3-5

Eliminação

Durante o programa, muitos participantes são eliminados por voto popular, ou seja, rejeição. E isso me lembra muito como na sociedade nós também somos muitas vezes rejeitados ou excluídos. Mas o que me alegra, é saber que Deus, o único que tinha o direito de me eliminar/rejeitar por completo, arquitetou um plano extremamente amoroso para me resgatar da minha própria perdição. Não sei se você já se sentiu rejeitado por alguém ou um grupo, mas saiba que Aquele que te criou te ama e quer ter um relacionamento real e pessoal contigo 🙂

Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele.

João 3:17

E é isso 🙂 espero que este texto tenha feito diferença na sua vida! Se ele te impactou de alguma forma, compartilha com a sua galera, vai que essa reflexão também faça diferença na vida de outras pessoas como fez na sua?

Em amor, Dory ❤

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: