Onde as minhas mãos não alcançam

Heeeey galera marinha! Como estão? Bem? Espero que sim 🙂 Eu estou um pouco desanimada por conta do horário de verão, mas “tamu” aí hahaha. Bem, vamos ao tema de hoje! Vocês já se sentiram sobrecarregados por estarem dando o seu máximo, estarem se dedicando 100% mas mesmo assim parece não estar dando em nada? Pois é, eu me sinto assim muitas vezes… Mas Papai na sua enorme misericórdia sempre me lembra de uma maravilhosa promessa!!

IMG-20170707-WA0021

Esta promessa está em Filipenses 4, mas, mais específicamente no versículo 19.

“O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês,

de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.”

Bom, quando eu me sinto insuficiente, lembro-me que o meu Deus, é muito mais do que suficiente. O que acontece muitas vezes é que nós queremos fazer todas as coisas por nós mesmo, por nossas forças. Que bobagem néh? Papai está lá, sempre disposto a nos abençoar, a nos capacitar, mas o nosso orgulho muitas vezes nos priva desse privilégio. Não que Deus não possa intervir, porque afinal Ele pode e muitas vezes o faz, mas Ele espera que nós O convidemos a participar dos nossos desafios, pois Ele busca RELACIONAMENTO conosco. Não faz parte da natureza de Deus invadir o nosso coração, Ele espera ser convidado.

Muito fácil é ouvir e entender, mas difícil é colocar em prática. Todos os dias da minha vida tenho sido desafiada a confiar e a entregar a Ele as minhas lutas, minhas falhas, desejos, sonhos… O que fazer para conseguir praticar tudo isso? Pergunta difícil, não? Eu não sei a fórmula secreta, mas sei que todas as coisas vêm do Pai, e se eu buscá-lo com todo o meu coração, eu O encontrarei. (Jeremias 29:13) E quando eu O encontrar, Ele me contará os segredos Dele e eu contarei os meus, entregando todas as coisas que me pesam o coração. E assim, Ele que é todo-poderoso, onisciente e onipresente, estará no controle da minha vida, Ele estará acima dos meus erros, as mãos Dele estarão onde as minhas não alcançam. Sei que não é fácil fazer isso, entregar tudo aquilo que te é precioso, mas pode ter certeza que Ele não te decepcionará, pois Ele não é homem pra falhar.

Por isso caro leitor, deixo aqui um convite, um tanto quanto radical. Negue-se a si mesmo,  pois assim você não estará mais no controle, mas sim Cristo Jesus, aquele cara que te demonstrou a maior prova de amor que o mundo já viu e verá.

“E Jesus proclamava às multidões: ‘ Se alguém deseja seguir-me

negue-se a si mesmo, tome a sua cruz dia após dia, e caminhe após mim’.”

Tire um tempo pra conversar com Jesus sobre todas estas coisas que você leu aqui e pergunte o que Ele tem pedido para você confiar a Ele. Sei que o texto de hoje foi um pouco curto, mas também sei que o conteúdo dele não é tão fácil hehe, por isso não vou me estender muito.

Em temor, Dory ❤

Amazing World Around Me (Cap.2)

Passou-se uma semana desde que me mudei, já havia me adaptado à rotina de viver sozinha. Ligava periodicamente para casa para contar as novidades e ouvir as aventuras que eles viviam por lá também. Era domingo a noite, e eu precisava dormir cedo pois o primeiro dia no trabalho seria no dia seguinte, mas minha animação não me permitiu pegar em sono pesado. Adormeci, mas permaneci no estado superficial do sono. Ao tocar do alarme senti uma energia de vida entrar dentro de mim e aos poucos me encher, encher até que eu fiquei completamente plena e transbordante naquela felicidade. Me espreguicei, abracei o travesseiro e me sentei na cama. “É hoje. É hoje o primeiro dia de uma carreira inteira na empresa!” Me levantei da cama, caminhei até o banheiro, escovei os dentes, lavei o rosto… E finalmente e estava à porta do apartamento arrumada, de banho tomado e com o café da manhã na bolsa para comer no metrô. Desci confiante as escadas, sai e caminhei com um sorriso difícil de se conter. E foi assim, até eu chegar a porta da editora.

Olhando para aquele prédio enorme, lembro que neste momento um vento bem forte fez voar meus cabelos e junto com ele trouxe um pequeno “frio na barriga”. Tomei coragem e abri a porta, cumprimentei o porteiro e perguntei onde ficava o andar da editoração. O velho homem que estava sentado no balcão me olhou, ficou desconfiado e finalmente perguntou, “quem é a senhora?”. Respondi e expliquei que era a nova editora, ele sorriu e me indicou o caminho. Disse-me também que era mais fácil ir de elevador pois as escadas estavam velhas e com iluminação precária. Confiando no gentil senhor, fui pelo elevador. Entrei na grande sala onde pelo menos 25 pessoas estavam caminhando de um lado para outro de forma incessante. Pareciam as correntes de ar naquela sala, cada qual com uma temperatura, intensidade e fluidez. Entrei um pouco desconfortável, insegura… Olhos, não me lembro qual foi a última vez que tantos pares deles me fitaram ao mesmo tempo como esta vez. Percebendo que me calar só iria fazer a situação se perpetuar, decidi me apresentar.

       – B-Bom dia, eu sou Íris e sou a nova membro da equipe da editoração.

Como um furacão todos voltaram a normalidade. O dia correu bem, conheci um garoto chamado Lucas que me acompanhou durante o dia todo. Ele me explicou detalhadamente como cada seção funcionava e como…

 

O tempo passou, e o sol também, ele foi coberto por nuvens escuras e densas. Aos poucos pequenas gotas de chuva pintaram minha janela. Gosto da chuva, ela sempre trás músicas diferentes ao cair. No fim do expediente consegui sair da sala sem ser encarada por ninguém, o que me foi um alívio. Me lamentei, não trouxe um guarda-chuva. Infelizmente o esquecimento deste objeto parecia fazer parte do meu dia-a-dia, algo perpétuo. Pus-me a caminhar, encolhida em meu casaco, me senti fedida e suja no metrô, mas sobrevivi. Saí da estação e me enchi de coragem para subir a rua da minha casa. “Finalmente! Mais um pouco e estarei num banho quente e cheiro…” Meu pensamento foi bruscamente interrompido com uma jato de água ocasionado por um carro que passou a toda velocidade numa poça ao meu lado, que má sorte. Enquanto resmungava sobre como o motorista era ridículo, uma corrente de ar soprou. Mas não só simplesmente soprou, mas me carregou com sua força, parecia alguém me empurrando. Tropecei em algo e caí atrás de uma caçamba batendo minha testa num dos restos de obra que nela havia. Levemente senti meu cérebro chacoalhar, mas aos poucos consegui restaurar meu senso de localização. “Nyaaaa” Ouvi um choro de dentro dos restos de cimento e pedra, de início pensei que fosse consequência da pancada, mas o som foi insistente. Concluí que deveria averiguar se realmente havia um animal por alí, pois ele poderia estar correndo risco de vida no meio desta chuva.

       – Mãe, o que eu posso dar pra um pequeno filhote de gato?

Questionei ao telefone fixo de casa. Eu estava ensopada e toda suja, com um gatinho listradinho no colo. “Ah! Por que eu trouxe ele pra casa?! Eu moro sozinha e nunca cuidei de um gato tão pequeno!” Depois de alguns minutos anotando todos os cuidados necessários eu finalmente encerrei a ligação. Bom, o plano era cuidar dele só por aquele dia pra ele não morrer de hipotermia, mas algo aconteceu, e este fato mudou todos os meus planos. Segui a risca todas as orientações que recebi e finalmente o felino se pôs a dormir. Aproveitei e fui FINALMENTE tomar o banho. Nada como água quente para finalizar um dia cansativo. Terminei de me lavar e fiquei alguns minutos embaixo do chuveiro até que… Um grande estrondo veio da cozinha. Fiquei em pânico preocupada com o gatinho, peguei a toalha e saí correndo. Ao chegar lá escorrego no piso liso do cômodo e novamente me vejo de cara no chão. Antes mesmo de conseguir abrir os olhos, o pequeno gato lambeu com sua língua áspera os meus cílios, o que me fez cócegas. Abri os olhos, mas o mundo estava diferente. Minha cozinha estava cheia de névoa… “Mas eu desliguei o chuveiro” me recordei. Uma enxurrada de pensamentos confusos vieram como uma tempestade à minha mente até que a coisa mais extraordinária me aconteceu. Ouvi uma voz, uma voz densa, grave e rouca. Ela vinha do animalzinho que estava deitado ao meu lado, mas como… Como poderia ele estar falando? E foi neste momento, neste exato momento que uma aventura que duraria minha vida toda começou. Uma que é cheia de mistério, criaturas de uma realidade diferente da que vivemos e de poderes que desconhecemos.

CONTINUA…

Palavras matam!

Oi oi galera nadante! Como vocês estão? Sentiram falta dos textos? Não se preocupe que aqui está mais um fresquinho, recém tirado do forno 😉 Hoje vamos falar sobre algo que eu tenho tido um pouco de dificuldade, palavras… Qual a sua relação com as palavras? Gosta delas? Tem medo? Não sabe ao certo como usar direito? Pois bem, as palavras são ferramentas dadas por Deus para nos comunicarmos e transmitirmos informações. Mas será que elas são sempre boas? Que tipo de palavras nós deveríamos permitir sair do nosso ser, sejam elas através de sons ou textos? Toda vez que me sinto confusa sobre algo, busco a resposta na Palavra, bora ver o que encontramos nela?

IMG_20170813_114807

Em Provérbios 10:11 está escrito assim:

“A boca do justo é fonte de vida, mas a boca dos ímpios abriga a violência.”

Nós somos povo santo, separados por Deus, para sermos embaixadores de Cristo aqui na Terra. Logo, devemos nós agirmos como ímpios, que não conhecem o amor do Pai revelado em Cristo? Certamente que não. É justamente a nossa missão levar a VIDA para estas pessoas que estão perdidas em si mesmas. Tenho algo, no entanto, para admitir. Nesta última semana não consegui ser VIDA para as pessoas a minha volta. Me deixei levar pelo estress rotineiro, pela TPM, pela falta de empatia, pelo excesso de orgulho… Quando o Espírito Santo veio me mostrar o quão MORTE eu estava sendo para as pessoas eu me envergonhei… A minha conversa com o Eterno não se encerrou aí, muito pelo contrário, este foi só o começo! Através da passagem de 2 Coríntios 7:10 que diz o seguinte:

“A tristeza conforme o Senhor, não produz remorso, mas sim um QUALIDADE de arrependimento que conduz à SALVAÇÃO; porém a tristeza do mundo traz a morte.”

Tal palavra me lembrou que reconhecer o meu pecado, me leva pra mais perto de Jesus. Pode me trazer tristeza por algum tempo, mas quebrar o meu orgulho e voltar aos pé de Cristo me levam a Salvação.

Com essa conversa que tive com Deus, resolvi fazer uma autoavaliação do meu ser. Ver como eu estava tratando as pessoas. E nisto me veio a mente um versículo que marcou muito a minha vida. 1 João 3:15:

“Toda pessoa que odeia o seu irmão é homicida,

e sabeis que nenhum assassino tem a vida eterna em si mesmo.”

Cara, que chacoalhão! Eu estava matando pessoas no meu coração e isso não me incomodava. Triste, não é mesmo? Mas o que fazer para conseguir amar as pessoas a minha volta? Como conseguir levar vida pelas minhas palavras? Como fazer isso se sou pecadora? A resposta é a mais simples do que poderíamos imaginar. Caminhe com o Eterno, leia mais sobre Ele, converse mais com Ele, e o mais importante, clame por capacitação! Nós, seres humanos costumamos sempre cometer um erro drástico, de sempre querer resolver as coisas por nossas próprias forças. O que normalmente termina em desgaste, frustração e desânimo. Mas quando somos capacitados por Deus, Ele estará ao nosso lado, nods auxiliando e aos poucos ficaremos melhores, até o dia em que estaremos com Ele nos céus com nosso corpo glorificados, e então finalmente libertos de uma vez por todas do pecado, graças a Cristo Jesus que pagou o preço e venceu a morte.

Caro amigo, deixo aqui minhas palavras de incentivo, palavras de vida. Que o nosso Pai amoroso, nosso Senhor Jesus e o nosso grande amigo Espírito Santo tenham liberdade de te transformar por completo, de dentro pra fora. Que as palavras que saírem de sua boca, sejam sempre palavras que façam ao Eterno sorrir, que as palavras que saírem de sua boca sejam VIDA. Deixo aqui uma música que me ajudou muito a entender a importância de proclamar vida.

Em vida e amor, Dory ❤

Atualização de sistema!

Hey hey! Como vocês estão queridos amigos nadantes? Espero que bem 🙂 antes de começar o texto de hoje tenho uma pergunta importante, o que vocês acharam do texto da semana passada que é o início da história que pretendo ir colocando aqui? Curtiram? Querem mais no blog ou acham que não é muito interessante aqui mas talvez em outra plataforma e tals? Deixe sua opinião aqui nos comentários!! Okay, recados dados, “bora” pro assunto de hoje, “Atualização de sistema”. Você com certeza já deve ter atualizado o sistema do seu celular, seja ele da marca da maçãzinha ou um outro, e certamente já teve muita dor de cabeça por conta disso. Justamente nessa última semana eu atualizei o meu e tive muitos problemas… “Bom, entendi isso, mas então… O texto de hoje é algo técnico sobre tecnologia?” Não! De maneira alguma hehehe. Por passar por uma situação como essa eu aprendi algo importante na minha vida e esse processo que os celulares precisam se tornou uma ótima metáfora de vida haha. Talvez para começar seja bom dar um exemplo bíblico pra ficar mais fácil de entender.

IMG-20170707-WA0027

Você conhece Jó? Ele tem um livro inteiro na Bíblia só pra ele, são muitos capítulos e muitas coisas trabalhadas nele, mas farei um breve resumo sobre o enredo. Jó era um cara que possuía tudo o que alguém desejaria, uma bela e grande família, muito dinheiro e propriedades, saúde e era extremamente temente a Deus. Jó era tão zeloso por Deus que sacrificava ao Senhor pelos seus filhos!

“Seus filhos costumavam visitar uns aos outros e cada vez um deles preparava um banquete e mandava convidar suas três irmãs para comer e beber com eles. Assim que passava o período das festas e banquetes, Jó os mandava chamar e fazia com que se santificassem por meio dos ritos de purificação. Jó levantava-se ao romper da aurora e oferecia holocaustos, isto é, sacrifícios completamente queimados, em nome de cada um de seus filhos, pois pensava:

‘Talvez meus filhos tenham pecado, ainda que no íntimo de cada um, e assim blasfemado contra Deus em seus corações!’

E era assim que Jó vivia e procedia.”

Jó 1:4-5

No entanto chegou um momento da vida dele que o Senhor permitiu que ele perdesse tudo o que tinha, os filhos, o gado, sua saúde… Jó permaneceu fiel ao Pai até o fim e não pecou O amaldiçoando. No final da história vemos que Jó mudou depois dessa experiência, mesmo ele já sendo um cara temente a Deus, ele passou a conhecer ao Pai de uma forma que ele nunca imaginou, de uma forma íntima e pessoal como ele jamais viu. Deus recompensando a fidelidade de Jó restaurou a família dele dando filhos novamente, dando muita saúde e bens.

A história de Jó é realmente um exemplo néh? Eu creio que uma atualização de nosso ser é como o processo que Jó viveu. Precisamos abrir mão e algumas coisas para que abra espaço para as novas coisas que o Pai quer colocar na nossa vida. Quando eu atualizei meu celular fiquei muito brava que perdi muitos documentos, fotos, músicas… Tudo bem que foi um erro meu que não fiz um backup antes de atualizar, MAS foi bom, pois assim eu teria a oportunidade de tirar novas fotos, baixar novas músicas e etc. Todas essas coisas eu já queria fazer, mas a comodidade me deixava estagnada, no entanto ao perder tudo, fui “empurrada” para o novo. Que sejamos assim também na nossa vida espiritual!

A quanto tempo você está estagnado na sua relação com Deus? Talvez seja hora de você sair da zona de conforto, talvez o que esteja te parando seja esse apego a coisas que Deus está te pedindo pra entregar a Ele. Eu não sei nada sobre como é o seu laço com Deus, mas tire um momento pra conversar com Ele de forma sincera e aberta, pergunte o que Ele acha sobre a relação de vocês, se tem algo que está impedindo o seu crescimento nEle. Colocarei uma música aqui pra te ajudar nesse momento!

 

 

Em amor, Dory ❤

Amazing World Around Me <3

Hey hey galera bonita desse lindo e imenso marzão! Como estão? Espero que bem 😉 Estava com muita saudade de vocês hehe. Hoje eu trago uma novidade pra vocês. A algum tempo tenho sentido muito no meu coração de começar um novo projeto no nosso querido blog. Basicamente é uma história que será publicada por capítulos, like a fanfic (trad: como uma fanfic). Hoje vou publicar o primeiro capítulo e eu queria muito saber o que vocês acham, se vocês querem que ele continue e tudo mais. A ideia é continuar a postar os textos normais quinzenalmente (uma segunda sim e outra não) e na última semana um capítulo da história. Deixem nos comentários a opinião de vocês ❤

*************************************************************************************

Andando pela escura e silenciosa rua, eu o encontrei… E este fato, este incrível e maravilhoso fato, eu não esquecerei. Você está confuso, querido leitor? Imagino que sim, eu ainda estou também. Não se preocupe, vou te contar todas as outras coisas que sucederam essa incrível experiência! …

Aprendendo a estar longe…

Na quinta-feira passada, lá estava eu empacotando minhas coisas para a mudança. Que mudança? Ora, que pergunta, a minha “A mudança”. Eu estava prestes a mudar para a capital, e bem… Prestes também a realizar o meu maior desejo desde que me formei, trabalhar numa grande editora de livros como editora. Logo mais você pode encontrar alguma obra que estou trabalhando! Mas não era sobre isso que eu estava falado, voltemos a “A mudança”. Meu coração estava palpitando vida e parecia fluir alegria nas minhas veias, pensar que em 4 horas estaria na minha nova casa e que teria um mundo inteiro pra conhecer me trazia um olhar diferente sobre o que me cercava.

Lacrei a última caixa que faltava e me espreguicei com todas as forças que me restavam. Conseguia sentir cada parte do meu corpo se esticar, tencionar e logo em seguida relaxar por completo. Para sentir melhor este pequeno intervalo de descanso me joguei no gramado do quintal e fiquei observando o céu azul e reluzente daquela manhã. O caminhão já deve estar para chegar, pensei, ao sentir a fresca brisa matutina massagear o meu corpo e fazer flutuar os meus cabelos. Sentir o verde gramado me pinicar me trazia ótimas lembranças, e que lembranças… “CHEGOU! O caminhão chegou!” ouvi minha mãe gritar distante de mim. Abri meus olhos bruscamente e me levantei.

*                                *                                 *                             *                            *

O caminhão tinha cheiro de tabaco e pó, e aquilo irritava o meu nariz. Estava na cabine junto com o motorista que permanecia em silêncio desde que partimos, seus olhos demonstravam cansaço e distanciamento de mim, pelo menos foi isso que pensei. Como não havia possibilidade alguma de uma conversa com meu colega de viagem, resolvi me distrair com a paisagem que corria ao meu lado. Quanto mais nos aproximávamos da capital, mais eu vi a grama sumir, mais eu senti o ar mudar, mais eu sentia a tensão de uma vida agitada. Depois de 4 horas e meia de viagem, e algumas paradas para descansar e ir ao banheiro chegamos ao meu mais novo lar. O motorista me ajudou a levar as coisas para o meu apartamento que ficava no quinto andar, e ao terminarmos o paguei pelo serviço. De forma bem sutil e simples, reparei que ele ergueu o canto esquerdo da boca, resolvi concluir que era um sorriso.

Depois do caminhão sumir de minha vista, voltei ao meu apartamento e me joguei nos meus pertences e me permiti me esvaziar. Nessa hora consegui ouvir os carros em movimento na rua, as pessoas conversando nos apartamentos vizinhos, o vento forte batendo na janela da cozinha e o chão gelado da nova casa. “Força! Só mais um pouco e já podemos descansar.” Pensei ao perceber que teria de encontrar a caixa onde deixei minhas roupas, pois tinha de ir a algum lugar para almoçar, sim, almoçar às 14:38…

Já com a roupa trocada, saí em busca de um lugar para me alimentar. Como não conhecia muito bem a área e cá entre nós também não sou boa em relação a decorar caminhos, resolvi não ir muito longe do meu novo lar. Já haviam se passado 30 minutos desde  o início de minha busca e eu ainda não tinha comida coisa alguma. Meu estômago começou a demonstrar mais irritação que o habitual, para evitar um desmaio repentino resolvi comer na primeira lanchonete que avistei. Ela tinha um aspecto bem amigável, se parecia muito com os cafés que vimos em filmes, possuía uma área externa com algumas mesas e árvores que faziam sombras tanto na parte de fora quanto na de dentro. Como estava um pouco debilitada resolvi comer no refúgio de um teto, dentro do estabelecimento. Fiz uma anotação mental de que deveria voltar lá para experimentar comer do lado de fora. Ao entrar a primeira coisa que reparei foi na iluminação. As sombras produzidas pelas árvores faziam o ambiente parecer uma floresta contida naquele pequeno espaço naquela imensa cidade. Boa parte dos móveis eram de madeira, num estilo rústico, salvo o balcão de atendimento que tinha um design extremamente moderno. Como já era relativamente tarde, a lanchonete estava praticamente vazia, apenas uma pessoa ou outra em mesas periféricas. Escolhi onde repousaria meu corpo pesado, sedento por comida e me joguei no asento.

Desesperadamente peguei o cardápio e pedi a primeira coisa barata que vi. Por sorte foi um sanduíche muito bem recheado de frios e salada. Muitas pessoas podem querer coisas gordurosas e mais pesadas, eu no entanto, como estou sem muito dinheiro, gosto de aproveitar ao máximo os alimentos que fazem bem ao meu corpo e cabem no bolso. Graças a Deus não demorou muito para que o meu pedido chegasse, devorei-o e recarreguei minhas forças com aquele delicioso almoço. Me apoiei levemente no encosto da cadeira e olhei para cima. Não era a mesma vista de hoje cedo, não era o mesmo céu, aliás, não era um céu. Era um teto de madeira queimada com as sombras das folhas arbóreas. Mas o vento… Esse era o mesmo. Pode parecer um pouco bobo, mas o vento me traz boas memórias, memórias de um verão inesquecível.

Como havia terminado de comer, fui ao balcão para pagar o que eu tinha consumido. O atendente, que também era garçom, tinha um aspecto simpático, mas carregava um ar de mistério. Não sei se você já teve essa sensação, mas o olhar dele parecia carregar alguns segredos, carregar uma maneira diferente de enxergar o mundo. Bom, achei aquilo encantador, mas tentei não demonstrar minha admiração e agi o mais neutra possível. Mas não foi o suficiente. Ele percebeu. “Existe algo incrível no vento, você não acha? Sinto que você percebe o mundo de uma forma especial.” Ele disse, primeiramente fiquei assustada, nunca havia encontrado alguém que percebesse o quanto eu gostava de sentir a brisa, até porque sempre tentava ser o mais discreta possível, mas logo que me recuperei do desnorteamento respondi que sim. “Você vai encontrar coisas maravilhosas por aqui, aliás, é nova nessa região?” Fiquei mais confusa ainda, a quando ele pronunciou a primeira parte da frase o homem passou a impressão de saber que eu era nova e que já esperava por minha chegada… Mudei meu comportamento e fiquei mais cautelosa, assenti com a cabeça, paguei e me pus a voltar para casa.

A porta trancada, a noite caindo e eu com meu pijama favorito, jogada no monte de almofadas que fiz na sacada, observando o céu. Não haviam estrelas. Estava na cidade. Não haviam pessoas que perguntaríam como o meu dia foi, não haviam animais para serem alimentados e cuidados antes da noite chegar, não havia mais ninguém comigo naquele momento… Percebi naquele momento o que era de fato morar longe da casa, do lar. Meus olhos começaram a se encher com água, a imagem de meus pais acenando do quintal de casa hoje me fez franzir a testa, a imagem de meus irmãos correndo atrás do caminhão fez com que minha boca torcesse, a imagem do sítio se distanciando de mim fez com que eu entrasse num dilúvio interno… Depois de alguns minutos consegui abrir os olhos, as lágrimas haviam lavado minha alma e agora me sentia leve e translúcida por dentro, sequei-os. Olhei pra cima de novo. Novamente sem estrelas, mas um pensamento me veio a mente; de que eu estava sob o mesmo céu que todos os que eu amo, mesmo longe, estávamos sob o mesmo céu. E este, este único pensamento, daquele pequeno milésimo de segundo me fez sorrir e cair em gargalhadas. Tomei forças e liguei para casa, para o meu verdadeiro lar.

Você acha que o encontro com o garçom foi o encontro marcante que citei no início do texto? Ingênuo leitor, este pequeno evento não se compara em nada com o que acontecerá a alguns a frente. Este esbarrar de alma naquela noite escura me fará enxergar as coisas com mais magia, com mais brilho, me fará ver uma das minha maiores missões.

*************************************************************************************

Então, quer saber o que acontece depois? Quer descobrir que encontro foi esse? Quer saber o nome da personagem principal?! Fique ligado no próximo capítulo, agora só na última semana de Setembro.

Em amor, Dory ❤

 

A metáfora do mundo e espelhos!

Olá amigos nadantes! Como estão? Bem? Espero que sim! Primeiramente perdão pelo atraso no texto, hoje ele acabou saindo um pouco mais tarde do que o de costume… MAS, “bora” pro tema de hoje 😉 O que vocês pensam quando pensam em espelhos? Na minha mente o que eu vejo é o meu próprio reflexo, e um mundo de espelhos como seria então? O texto de hoje vai ser um tanto quanto reflexivo e bem subjetivo, espero conseguir passar com clareza ideia de hoje 😉 Caso você tenha alguma dúvida, deixe-a aqui nos comentários!

Uma coisa que tem me incomodado muito recentemente é a falta de empatia com o próximo que vem reinando em nosso mundo… Em pequenos atos de julgamento, as condenações sem compaixão têm sido mais frequente a cada dia nesse mundo midiático em que a presença das redes sociais é marcante. Mesmo quando temos consciência de que isso é ruim, e em nada se parece com Cristo, muitas vezes acabamos caindo nessa cilada do mundo individualista e egocêntrico desta era… Uma forma que encontrei de tentar me lembrar de olhar para o outro com mais amor foi de imaginar cada pessoa como um espelho. Assim eu olharia para o outro me perguntando o que eu gostaria que as pessoas ao meu redor fizessem por mim e o que eu não iria querer de jeito nenhum que fizessem. E realmente surtiu um efeito bem bom hehehe. Mesmo com essa melhora, sei que ainda há muito para melhorar.

IMG_0653

Ps: Essa é uma das minhas fotos favoritas, já que lá está um dos meus melhores amigos, Love you dad ❤

Okay, entendemos como olhar para o próximo de maneira a condená-lo menos , mas… E quando, por eu amar este próximo eu sinta a necessidade de aconselhá-lo, alertá-lo de algo que ele ainda não percebeu e que tem feito um grande mal a ele? Pois bem, aí entra a segunda parte da metáfora do mundo dos espelhos! Eu realmente acho que um verdadeiro amigo (aliás, temos um texto bem legal sobre AMIZADE, clique aqui para lê-lo) não irá apenas concordar com você, isso se chama bajulação, um verdadeiro amigo te traz à realidade quando você acaba se perdendo no mundo e nas suas loucuras. Então… Como falar a um amigo algo que você acha que não está sendo muito bom pra ele? Olhe-o como se ele fosse um espelho, como se você estivesse falando com o mesmo cuidado que você gostaria que falassem pra você. Uma coisa que eu percebi que acontecia muito comigo, e ainda acaba acontecendo algumas vezes, é que quando quero trazer alguém à realidade novamente acabo me colocando numa posição superior a ela, o que traz um ar de arrogância, e não de amor, como deveria ser. Tudo bem que muitas vezes precisamos ser firmes com nossos amigos, mas NUNCA sem amor. Não confunda firmeza com falta de amor. Jesus exortava os fariseus porque Ele os amava e não queria vê-los perdidos em si mesmos e em suas prisões legalistas. (um ótimo exemplo disso é o capítulo 23 de Mateus)

E para finalizar é importante enfatizar que Deus é o verdadeiro amor e que se nós quisermos amarmos uns aos outros realmente, primeiro precisamos ter um relacionamento verdadeiro e íntimo com Ele, para que assim aprendamos o que é o amor verdadeiro, porque no mundo vemos muitos falsos amores… (muito provavelmente haverá um texto sobre esse tema ;))

Em amor, mas não em qualquer amor, mas sim no amor que tenho aprendido com Cristo,
Dory ❤

A louca das abas

Oi oi amigos nadantes!!! Como estão?? Gostaram do texto surpresa? Caso você não tenha visto (já que foi um texto extra desse mês) clique AQUI! Bom, hoje vamos falar um pouco sobre a proatividade. E o que isso tem a ver com o título?! Tem TUDO a ver! Okay, deixe-me explicar. A um tempo atrás a minha irmã me ensinou como ela consegue verificar todas as coisas que precisava no computador diariamente, ela fixava abas para não esquecer e não ocupar tanto espaço. Outra técnica que ela me mostrou é abrir abas no navegador dos links que eu tenho interesse mas no momento não posso ver. Assim, seguindo os conselhos da minha irmã, minha produtividade aumento muito! Mas depois de um certo tempo vi que haviam muitas abas abertas, e nem todas tão úteis, algumas eu poderia simplesmente fechar, mas escolhia deixá-las. Já viu qual foi o resultado neh? Muitas abas abertas, uma bagunça total e completa HAHAHA. Com essa experiência pude tirar uma lição para a minha vida.

IMG_0605

Você já se viu em um momento da vida que estava fazendo tantas coisas ao mesmo tempo que nem tinha tempo de descansar, mas queria muito fazer mais coisas? Pois é, eu vivi um pouco disso… Estava tão atarefada que nos meus momentos de descanso pensava nas coisas que eu ainda queria fazer e colocar na minha agenda! O-O E isso não é muito saudável… “Mas… se eu estou fazendo várias coisas produtivas e interessantes, qual o problema? Por que não é saudável?” você deve estar se perguntando, e eu também me fiz esse questionamento. A resposta meu caro, é simples, limite. Somos humanos, e não temos energia infinita, precisamos de descanso. Quando eu me comprometo a fazer várias coisas ao mesmo tempo, acabo passando do meu limite físico e não faço as coisas com tanta dedicação que eu deveria. Será que é certo fazer várias coisas, nenhuma com o foco que cada uma precisa? Pois é, acho que não.

Não me leve a mal, não estou querendo dizer que fazer coisas é errado, mas será que temos levado o nosso limite físico a sério? Ou estamos relevando? Eu negligenciei muito o meu limite nesta semana. Me dediquei a muitas tarefas sem pensar muito no quanto eu suportaria… Fui um tanto quanto irresponsável com o meu corpo >< Mas no final, Papai foi misericordioso e me sustentou e eu consegui finalizar tudo com o que me comprometi a fazer. Mas a história poderia ter sido diferente, não é mesmo? Se Ele, na sua enorme misericórdia, não viesse me socorrer, certamente eu estaria irritada, cansada e muito provavelmente boa parte das minhas tarefas não teriam sido concluídas.

Mas sabe, no final de tudo isso Jesus me mostrou que eu não fui a primeira a cometer esse deslize, Marta já havia sido pega por esse “bichinho” da extrema proatividade. Em Lucas 10:38-41 encontramos a narração desta história. Marta estava tão preocupada com “fazer coisas” que se esqueceu da mais importante, desfrutar da presença de seu Senhor. Creio que quando eu me atarefo demais, canso muito o meu corpo, minha mente e acabo não conseguindo estar 100% com Jesus.

Assim como a metáfora do começo (que eu nomeei como “a louca das abas”) acabamos nos ocupando demais “com fazer ”coisas, que esquecemos de todo o resto… Você sabe qual o seu limite físico? O quanto a sua proatividade excessiva tem interferido no seu relacionamento com Deus? Vale a pena? A minha oração nessa nova semana é que o Espírito Santo me dê sabedoria para não pegar mais tarefas do que eu consigo suportar, e me capacite a fazer todas as coisas com amor, dedicação e foco pleno, TUDO para Ele!

Em paz, Dory

Voltemos ao primeiro amor!

Oi oi família aquática!! Textinho surpresa extra, Deus me colocou um tema que senti ser algo urgente, por isso temos um texto a mais esse mês!! Mas… Como vocês estão nesse frio? Espero que bem quentinhos 😉 Ah! Se você tiver alguma roupa “sobrando” em casa, aquela que você não usa a um tempo e não acha que vai usar tanto assim, DOE! Essa roupa que não está sendo tão útil pra você pode salvar a vida de alguém! Dados os recados, vamos ao tema. Hoje quero conversar um pouco sobre o primeiro amor de quando nos encontramos com Deus pela primeira vez de forma verdadeira. Pode não parecer, mas tem tudo a ver com esse recadinho do começo.

Antes de mais nada, vou compartilhar o versículo que inspirou este texto:

“Ao anjo da igreja em Éfeso, escreva:

‘Estas são as palavras daquele que tem as setes estrelas em sua mão direita e anda entre os sete candelabros de ouro. Conheço as suas obras, o seu trabalho árduo e a sua perseverança. Sei que você não pode tolerar homens maus, que pôs a prova os que dizem ser apóstolos mas não são, e descobriu que eram impostores. Você tem perseverado e suportado sofrimentos por causa do meu nome e não tem desfalecido. Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor.’ ”

Apocalipse 2:1-4

Eu me vejo muito como a igreja de Éfeso, tenho muito zelo pelo que agrada ou não o Pai, tenho me mantido alerta para com os falsos profetas e apóstolos, mas me distanciei do primeiro amor… Mas… O que seria esse primeiro amor? Bora (re)descobrir o que ele é?

13321027_572064199620604_88574474_o

Não sei como foi a sua história de quando Jesus entrou e começou a obra Dele na sua vida, mas sei que existem alguns ponto principais que Jesus começa a mover em nós. O primeiro que é a sede e paixão por Ele. O segundo, vontade e busca por fazer aquilo que agrada ao Pai, anseio pela santificação (estou planejando fazer um texto explicando melhor este ponto, mas basicamente é um processo que dura a nossa vida inteira aqui na terra, onde Deus nos molda e a cada dia nos parecemos mais com Jesus). E finalmente o terceiro, que é uma vontade incontrolável de partilhar desta maravilhosa notícia com todos a nossa volta. E eu acredito que esse é o tão falado primeiro amor. João não termina a carta à igreja de Éfeso no versículo 4 dizendo apenas que eles haviam perdido este sentimento tão precioso, ele continua:

“Lembre-se onde caiu! Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio.

Se não se arrepender virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele.”

Apocalipse 2:5

Lendo o versículo 5 percebemos como isso é grave e que devemos buscar saber onde nos desviamos do primeiro amor e nos arrependermos. Mas… Como saberemos onde caímos? Onde acabamos nos desviando? A resposta é mais simples do que imaginamos, PERGUNTE a Deus! Ele conhece a cada como ninguém, até porque foi Ele que nos criou e nos formou, pensando em cada detalhe e conhecendo cada célula do nosso corpo. Certamente Ele não o rejeitará e não deixará de ouvi-lo pois está escrito no livro de João:

“Todo aquele que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu JAMAIS rejeitarei.”

João 6:37

Então vá sem medo 😉

Para que não fique apenas como algo teórico, vou compartilhar sobre onde eu caí, e bem… Desde que descobri tenho buscado melhorar (com a ajuda do Eterno é claro) a cada dia. Talvez você não saiba, mas eu nasci, cresci e vivi na igreja. Por isso sei muitas coisas teóricas sobre a Palavra, coisas teológicas e muitas histórias sobre os heróis da fé. No entanto essa “bagagem” teórica que eu carrego acabou se tornando em sentimentos nada legais, tais como o orgulho, a arrogância, a falta de gratidão, e o mais perigoso, a falta de misericórdia para com o próximo. No meu interior eu pensava que por saber “tanto” e por sempre ter estado com Deus eu era uma pecadora “menos pior”… Muito feio esse pensamento neh? E todas estas coisas ruins vieram da minha perda do primeiro amor, principalmente o terceiro ponto que falei no início. Mas Papai, misericordioso como sempre, me resgatou de mim novamente! Ele me deu um belo de um puxão de orelha e me mostrou através da vida de Paulo, que perante a Lei era um exemplo e zelava muito por ela, mas mesmo assim não conhecia a Deus de verdade. Bem, foi então que o Espírito Santo abriu os meus olhos para que eu finalmente enxergasse que eu era tão pecadora quanto os outros que eu julgava ser pecadores “piores”… E também que o processo de santificação, e de me aproximar de Deus nunca está no meio ou no fim, mas sempre no começo, do começo, do começo… E quando pensamos ter avançado uma “fase” percebemos que ainda estamos no começo, do começo…

Sinto no meu coração que boa parte do Corpo de Cristo tem se perdido do seu primeiro amor, e tem olhado pro mundo com o coração arrogante, orgulhoso, e não com olhos de misericórdia como Jesus… Minha oração é que o Pai possa levantar seus servos para mostrar o quanto o Senhor anseia que a sua Noiva retorne ao primeiro amor.

 

Em amor e misericórdia, Dory ❤

Sobre o meu relacionamento com o céu! <3

Oi oi povo marinho!! Tudo bem? Como passaram essas semanas? Espero que bem 😉 Hoje vamos conversar sobre um tema que eu simplesmente AMO, o Céu! O que é o Céu pra você? Como você acha que é “lá”? Me conta aqui nos comentários, sinta-se a vontade, temos espaço pra você aqui 🙂 Bom, o Céu pra mim é a minha casa, a minha terra natal, o lugar ao qual eu pertenço, mesmo nunca tendo estado lá de fato, sei que lá é o meu lugar. Acha estranho eu ter tanta convicção numa coisa que nem ao menos é palpável e “testável”? Pois é, mas eu tenho um segredo pra te contar, aqui na terra, onde moramos, temos alguns lugares que são “pedacinhos” desse incrível lugar.

(Hey, psiu! Aqui está uma playlist que gosto muito, que fala sobre o céu, se você quiser, ouça enquanto lê este texto 😉 https://www.youtube.com/watch?v=SydiUq_6Vhs )

IMG-20150805-WA0029

Mas antes de tudo, o que é o céu? O que sabemos dele através da Palavra do Pai? Fiz uma pequena pesquisa e achei algumas respostas, e um versículo em especial consegue explicar bem.

Sabemos que, se for destruída a temporária habitação terrena em que vivemos,

temos da parte de Deus um edifício, uma casa eterna nos céus,

não construída por mãos humanas.

2 Coríntios 5:1

O que podemos entender através dessa passagem? Primeiro que Deus está lá, e que nos prepara um edifício, uma casa. Mas porque uma casa? Para que nós possamos permanecer na presença dele SEMPRE e PARA SEMPRE! Mas como isso é possível?! Graças a Jesus, que morreu a nossa morte, mas ressuscitou, e então voltou aos céus para nos preparar uma morada:

Não se pertube o coração de vocês. Vocês creem em Deus; creiam também em mim.

Na casa do meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu teria ditos a vocês

E, quando eu for e preparar lugar, voltarei e os levarei para mim,

para que você estejam onde eu estiver.”

João 14:1-3

Okay, então descobrimos que o céu é onde nosso Pai celestial mora e é onde Ele prepara nosso novo lar, que será eterno, para que nós estejamos sempre na presença maravilhosa Dele. Mas todos vamos poder estar neste incrível lugar? Para responder a este questionamento, precisamos primeiro entender um pouco da natureza divina de nosso maravilhoso Pai. Deus é santo, por isso detesta o pecado, e se entristece muito com isso. Por nós humanos termos caído em pecado, estávamos fadados a nunca mais conseguir estar com Deus! No entanto, Ele nos amou tanto que enviou Jesus para resolver esse problema (João 3:16).

Muito incrível o céu ne? A vontade e ansiedade de estar lá é muito grande! Mas vou te contar um segredo, podemos sentir um pouco, beeem pouquinho mesmo, do céu aqui na terra. A atmosfera do céu pode ser encontrada aqui onde Jesus se manifestar e estiver presente (Mateus 18:20) já que no céu a coisa mais legal vai ser estar na constante e eterna presença Dele. Deus é tão bom que já me presenteou com vários momentos em que pude ter um gostinho do céu. Se eu fosse contar todos, demoraria dias e infinitas palavras hehehe. Para que você não fique uma “eternidade” lendo, vou contar só as que mais me marcaram.

A minha primeira experiência com esse “um pouco de céu” foi num acampamento da igreja de alguns amigos. Lá tive meu primeiro encontro com Jesus, foi um dos melhores dias da minha vida! (Talvez eu escreva um pouco mais sobre experiêñcia num outro texto 😉 ) E lá todos estavam em família, a família de Cristo, havia cura de identidade, libertação de coisas que estavam nos escravizando por dentro… Claramente Deus estava entre nós. Uma outra vez, foi quando tivemos um evento lá na igreja. Nós passamos a noite por lá, cantamos muito, estudamos muito sobre Ele… Mas chegou um momento que Papai queria transformar vidas. Ele já estava em nosso meio, mas quis se manifestar mais forte nessa hora pra mim.

Eu encontrei Jesus pela primeira vez num acampamento, e outra em um evento da igreja, mas eu o vejo constantemente no meu dia-a-dia! Eu tenho certeza que Ele quer estar com você 24 horas do seu dia também, você também quer estar com Ele?

 

Em alegria e esperança, Dory ❤

Onde esta o meu foco?

Oi oi amigos nadantes como estão?? Espero que tenham passado bem esses dias, eu particularmente fiquei com bastante frio nessa semana congelante >< Dias como esses são bons pra gente lembrar que existem pessoas que não tem um tento para poder se abrigar nem uma roupa quentinha pra se esquentar, por isso deixo aqui um apelo, se você tem alguma roupa que não usa, ou um cobertor, por favor doe!! Certamente terão pessoas que precisam e necessitam deles 😉 recado dado, partamos para o tema de hoje!!

Creio que se você me segue a um tempo percebeu que sou uma pessoa um tanto quanto atrapalhada e perdida (vide meu nome, Dory). Por possuir essa característica eu me encontrei muitas vezes animada para fazer várias coisas, mas fiquei tão perdida em mim mesma que não sabia de onde eu deveria começar… você já se sentiu assim também?? Ou teve um sentimento semelhante quando as coisas pareciam estar fora de controle, e a cada piscar de olhos um novo problema surgia? Este texto é pra mim e pra você 😉

Quando corremos uma corrida, qual é a coisa mais importante? Seus equipamentos? O solo? Seu treinamento? Huuuum, talvez sejam coisas importantes, mas certamente eles de nada valerão se corrermos para o lado oposto à linha de chegada. “Que baboseira!” você deve estar pensando, “quem participaria de uma corrida e nem se quer sabe aonde deve chegar?!” pois é, que absurdo! Mas… Você sabe qual a linha de chegada da sua vida? Vou te contar qual é a minha, e como muitas vezes eu perco ela de foco e me desvio do caminho que deveria trilhar.

IMG_0662

A minha linha de chegada não é um estado de espírito, uma conta bancária satisfatória ou uma quantidade excepcional de pessoas que gostam de mim, mas sim uma pessoa. Não qualquer pessoa, mas o próprio Deus encarnado chamado Jesus Cristo. Minha vida gira em torno do sorriso Dele e do nosso relacionamento. A princípio pode parecer algo muito subjetivo e um tanto quanto ambicioso, mas eu te digo caro amigo, é possível sim ter um relacionamento com Ele, e o manual de instrução é de muito fácil acesso para nós (o que não acontece em muitos outros lugares…) e ele se chama Bíblia. É… Falando/escrevendo é simples, mas na prática temos tantas coisas que nos distraem dessa linha de chegada… Eu, particularmente, me vejo distraída diariamente, mas o Eterno é bom demais! E me perdoa a cada mancada, porque Jesus morreu e RESSUSCITOU por mim na cruz. Aliás, um amigo muito chegado de Jesus passou por uma experiência como essa e tal história sempre me lembra que meu foco tem que ser Jesus.

No livro de Mateus, capítulo 14, do versículo 22 ao 34. Mas em João 6 dos versículos 16 ao 21 temos um relato menos detalhado da história. Bom, resumidamente, Jesus pediu para que os discípulos fossem atravessando o mar enquanto ele despedia a multidão. Despedidas as pessoas que lá foram encontrá-lo, Jesus subiu ao monte para orar e muita oração e tempo depois, no meio da madrugada ele foi andando sobre as águas para se encontrar com os discípulos que estavam no barco, e este, se encotrava praticamente parado pois o vento não era favorável. Vendo Jesus, os discípulos ficaram extremamente aterrorizados imaginando que fosse um fantasma. Jesus, imediatamente disse, que era ele e que não havia o que temer. Pedro como sempre, impulsivo e bem exagerado respondeu: “ Se és tu, Senhor, manda-me ir te encontrar por sobre as águas.” E Jesus o chamou para encontrá-lo. No começo, Pedro caminhou muito bem sobre as águas, MAS, chegou um momento em que ele se distraiu com as águas que estavam agitadas por conta do forte vento e começou a afundar… Desesperado ele clamou pela ajuda de seu senhor, e este o resgatou, e disse: “Homem de pouca fé, por que duvidou?”. E ao chegarem no barco, o vento parou e todos os que estavam no barco reconheceram que Jesus era o Filho de Deus.

O motivo pelo qual Pedro afundou é o mesmo que nos faz afastar da direção certa à linha de chegada, a distração. Quando o nosso foco que deveria estar em Jesus passa a estar em outras coisas, tais como, a dificuldade, os nossos desejos que não são os mesmos que o de Cristo e muitos outros, nós acabamos indo pra direção errada. Eu particularmente tenho muita dificuldade de olhar pra Jesus quando as coisas ao meu redor começam a sair do meu controle; tenho a impressão que vou ter um treco hahaha, mas quando eu lembro que nestes momentos em que as coisas estão fora do meu controle, elas ainda permanecem no controle do Pai, e assim não tem interferência do meu “controle”. Por isso caro colega de corrida, quero muito te deixar o meu versículo favorito para te incentivar a não tirar os olhos da linha de chegada mais legal que existe!

 

“Não fui eu que ordenei a você?

Seja forte e corajoso!

Não se apavore nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus,

estará com você por onde você andar.”

Josué 1:9

 

Em força e coragem, Dory

Como a natação me aproxima de Cristo

Hey heeeey seres marinhos! Como estão? Espero que bem ^^ Gostaram do último texto aqui do blog? Se sim, sinta-se a vontade para compartilhar com a sua galera, a Dory aqui agradece! Acabei postando esse texto mais cedo, no entanto o próximo já volta a ser publicado no horário de sempre ^^ Mas, voltando ao de hoje… Quero compartilhar com vocês algumas coisas que tenho aprendido com o Eterno durante meus treinos de natação na faculdade 😉 pode parecer algo meio diferente demais, já que estamos acostumados a pensar em coisas “seculares” e “gospeis” em nossa pequena e limitada mente humana. Mas de uns anos pra cá, Papai tem mudado esse conceito em mim.

IMG_0616

Eu vou à igreja desde de pequena, só não nasci na igreja porque não era domingo HAHAHA. Logo, eu já ouvia falar do amor de Deus por mim desde sempre, costumava decorar versículos toda semana (prática que eu quero retomar agora) e todas as outras coisas que sempre fazemos na igreja. Mas faz pouco tempo que conheci o Eterno de verdade, assim como Jó fala em um dos últimos capítulos do livro que leva o nome dele (Jó 42:5). Nesse encontro marcante com Jesus, muitas coisas em mim começaram a mudar em mim. Percebi que todas as coisas deveriam ser para Ele, assim como está escrito em 1 Coríntios 10:31 “Quer comais, quer bebais, façam tudo para glória de Deus”.  Foi quando a ficha caiu, eu não deveria fazer para Deus só as coisas que eu achava que eram “de Deus”, mas que TODAS as coisas são “de Deus”, já que Ele fez a corrida, os livros, a natação, o conversar, e tantas outras ações.

Um teólogo que gosto bastante chamado A. W. Tozer disse certa vez: “Quando vivemos para o Senhor e vivemos para o agradar e honrar, tomar café da manhã pode ser tão espiritual quanto orações em família. Não há motivos para um cristão comprometido desculpar-se: ‘Senhor, sinto muito, mas tu sabes que agora preciso comer. Assim que terminar estarei contigo novamente’”

Olhando hoje para trás vejo como estava sendo boba ao tentar colocar o Todo Poderoso numa caixinha imaginária e egoísta que eu fiz, limitando aquilo que Ele podia fazer na minha vida e através dela. E agora, principalmente, Deus tem falado muito comigo através da natação. Você pode estar se perguntando: “mas como?” e eu te respondo 😉 Primeiro porque ele é um Deus CRIATIVO e pode fazer coisas extraordinárias através de coisas aparentemente ordinárias, e em segundo porque neste esporte, cada dia, cada treino, é uma superação dos nossos próprios limites, a cada “tiro” precisamos controlar nossa respiração e força para terminar as metragens pretendidas e não desistir antes do fim. Eu aprendi a nadar quando criança e ia para uma “escolhinha” de natação, mas aos 10 anos tive que parar e só voltei a treinar mesmo agora na faculdade. Bom, no começo foi bem difícil, tive que recordar técnicas, me dedicar aos treinos educativos e principalmente e aprender a ir até o fim.

Creio que nunca falei nada a respeito disso aqui, mas eu sou uma pessoa que realmente dá o máximo de si, mas que não confia muito na própria capacidade, e na capacitação vinda do Pai, então chega uma hora que tenho vontade de jogar tudo pro ar, e simplesmente desistir e fugir… Mas o bom Pai celestial tem me ensinado a confiar Nele e na capacidade que Ele colocou em mim. Ele me lembra que quando eu o aceitei como meu Senhor e Salvador, ele prometeu estar comigo sempre e por isso eu não preciso desistir e fugir, porque Ele me dá forças, sabedoria e capacidade para superar os desafios que eu encontro, tanto durante os treinos quanto na vida.

Hoje, já treinando diariamente com os meus amigos, nadar se tornou algo VITAL para mim hahaha. É uma paixão que Cristo colocou em mim e sei que Ele vai usar para a honra e glória Dele 🙂

A minha oração hoje é que caso você esteja passando por alguma dificuldade ou algo que te dê vontade de desistir e fugir, que o nosso Pai te dê paz, que só ele pode dar e te capacite, porque ele quer te usar de uma forma muito especial, mas para que isso aconteça primeiro temos que vencer os nossos próprios medos e inseguranças.

 

Em amor e coragem, Dory ❤

Delimitações, limitações que colocamos em Deus

 Olá amados companheiros nadantes!! Como estão? Estava morrendo de saudades de vocês ❤ O que vocês têm vivido com nosso Papai celestial? Sintam-se à vontade para compartilhar nos comentários, aqui também é a sua casa marinha 😉 Bom, hoje queria compartilhar um aprendizado que eu tenho tido, e que tem me feito pensar de forma cada vez mais parecida com Jesus. Mas para que vocês entendam bem, vou contar um pouco mais de mim.

 Desde de pequena eu gostava muito de desenhar, como toda baby, ainda não tinha noção de formas, perspectiva e tals (se bem que hoje eu continuo não tendo tanto dessas habilidades hahahaha) então mesmo que me dessem um papel com algumas linhas, papéis usados eu não me importava, já que eu só queria pegar meus gizes de cera e riscar tudo conforme minha vontade. Aos poucos fui aprendendo que eu podia colorir desenhos, só que precisava tomar cuidado com as linhas para não sair para fora e deixar “borrado”. Até hoje gosto muito de colorir hahaha mas você deve estar se perguntando o que isso tem haver com o título do texto, certo? Então vamos ao principal deste texto!

 Eu percebi recentemente que tenho um mau hábito de entregar uma tela com linhas para o PINTOR DO MUNDO! Percebe o meu absurdo?! É, acho que ainda não estou sendo muito clara, vou tentar explicar melhor. Eu tenho restrições, delimitações que imponho a Deus, digo a Ele: “Faça a Sua vontade em mim, mas não passe das linhas…” Pois é… Deus me cutucou com relação a isso e me provocou a refletir o quanto eu tenho limitado a ação dele ao querer seguir uma padrãozinho que eu vi dar certo, seja em filmes, livros, músicas, nos meus amigos ou conhecidos… Como por exemplo… Eu sou uma pessoa que gosta de livros de romance, por isso sempre fiquei imaginando como seria encontrar uma pessoa incrível e desenvolver esta “nossa história” mas vi que Deus é um pintor e as linhas só faz nos sentirmos bravos com Deus, sendo que Ele que devia estar triste conosco.

 E qual é a conclusão de tudo isso? Bom, confiar no nosso Paizão, e ter fé que Ele sabe melhor que nós mesmo sobre os nossos sonhos, nossos dons, nossos desejos… Que possamos aprender a entrega uma tela em branco para que Ele pinte o que Ele quiser, e não se limite ao que nós “achamos” que tem que ser o limite. Espero que Deus possa ter falado com você através deste pequeno texto 😉 Saiba que Ele tem grandes, enormes planos pra sua vida, histórias que ninguém nunca escreveu, e que ninguém nunca cantou em música alguma! E só para finalizar, vou deixar um versículo que tem me ajudado muito nesta área ^^

 

“No amor não há medo;

Ao contrário o perfeito amor expulsa o medo,

porque o medo supõe castigo.

Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.”

1 João 4:18

 

Em amor, Dory ❤

Que música você está ouvindo?

 Olá amados leitores nadantes, como estão? Espero que tenham passado bem essas semanas. Hoje escrevo sobre um tema que gosto muito, MÚSICA! Como o título diz, que música você está ouvindo agora? Algo calmo e relaxante, ou então é agitado e enérgico? Sabe, realmente fico pensando no porquê desta combinação de sons fazer a gente se sentir tão “nós mesmos”. Creio que seja porque vemos na música um espelho do nosso eu, um algo que nos reflete, como um espelho d’água. Por isso, constantemente peço para amigos me mandarem músicas, bandas e cantores que gostam, para que eu passe a conhecê-los  melhor.

IMG_4701

 O amor à música que muitos carregam reflete nos bancos e corredores do mundo. Sempre há pessoas sentadas ou caminhando, cada qual com o seu fone de ouvido. Existem muitas variedades destes, os Head fones, os com fio e os sem fio… Enfim, uma infinidade de tipos. Como amante de fones realmente me encanta ver tantas pessoas com o mesmo sentimento, no entanto também tem me deixado​ preocupada… Muitas vezes acabamos nos distraindo com o nosso próprio mundo e acabamos ficando insensíveis ao que acontece fora dele. Quantas vezes eu já não fiquei tão distraída​ que acabei não notando um homem sem teto nos pedindo ajuda? Ou então quando uma senhora no metrô estava em busca de um acento e acabei não percebendo até que chegasse a minha estação? Pois é, perigoso…

 A individualidade a cada dia ganha mais espaço no mundo contemporâneo, ela nos faz pensar​ mais no nosso universo do que prestar atenção a quem precisa de nós. Não que pensar no próprio mundo seja errado, mas é triste quando começamos a nos isolar do que acontece a nossa volta, quando nos tornamos insensíveis às dores, lágrimas e angústia mundo a fora.

 Você já tirou seu fone para ouvir alguém? Será que tirar o fone só por um instante e estar disposto a ouvir fará a diferença na vida de alguém? Aprendi a um tempo que as pessoas estão carentes de serem ouvidas. Elas se sentem ignoradas e esquecidas, sentem que não têm valor algum. Vamos mudar isso, vamos doar um pouco do nosso tempo para OUVIR! Mesmo que não tenhamos palavras para responder, conselhos para dar, certamente só de ouvir atentamente já tornará aquele momento especial. Imagino que existem muitos obstáculos a serem superados nesse processo, a timidez, o medo, a insegurança… Mas não tema! Pois você não está sozinho, o Criador está sempre a disposição para te capacitar =] se pedirmos com coração certamente Ele nos atenderá.

 Obrigada por ler até aqui, toda honra e glória a Ele, Aquele que é o único digno de todos os louvores!

 

Pela Graça, Dory

Eu, a tempestade e Jesus

 Olá companheiros nadantes! Como passaram as últimas duas semanas? Espero que bem 🙂 O texto de hoje vai ser bem parecido com um testemunho de uma fase difícil que passei a uns tempos atrás e também um pouco de aconselhamento para quem está passando por algo semelhante, espero que seja proveitoso ^^

 

 Antes de tudo, o que é uma tempestade? É apenas uma chuva forte? Apenas esperar “passar” é suficiente? Creio que não, eu vejo a tempestade como um evento desestabilizador, principalmente no mar hahaha, por causa dos ventos fortes que agitam a água, os trovões e relâmpagos que nos amedrontam. Pois é, as tempestades nos tiram o chão, não sabemos mais onde nos apoiarmos, não conseguimos ver nenhuma escapatória… Parece o fim. Na Bíblia vemos algumas histórias que envolvem tempestades, tais como a de Jonas, que ao tentar fugir de Deus é pego por uma tempestade, ou então quando Elias é usado para avisar o líder que voltará a chover, uma grande tempestade se aproximava. Dentre todas estas, gosto de uma, a tempestade que os discípulos de Jesus passaram em uma das travessias que eles fizeram.

IMG_0322

 Esta história está registrada em 3 livros do novo testamento, Mateus 8:23-8:27, Marcos 4:35-4:41 e Lucas 8:22-8:25. Não vou transcrever toda história, mas farei um breve resumo. Jesus chamou seus discípulos para atravessarem o mar, e irem para um cidade do outro lado. No meio da viagem, uma forte tempestade os atingiu desestabilizando o barco, fazendo com que este se enchesse de água e claro, apavorando os pobres discípulos. Enquanto ocorria o caos, Jesus estava DORMINDO!! Os discípulos ficaram indignadíssimos; como ele poderia estar dormindo numa situação tão emergencial como esta?! Então foram acordá-lo. Jesus após ser tirado de seu estado de sono, acalma o mar e o vento e então questiona a fé de seus seguidores: “Por que estão com tanto medo? Ainda não têm fé?” (Marcos 4:40). Que situação! Os homens ficaram admirados, diziam entre eles: “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” (Marcos 4:41).

 

 Por que Jesus questionou a fé de seus discípulos? Existe alguém que não ficaria apavorado em uma situação dessas além de Jesus?! O problema não foi se apavorar, mas não confiar que Jesus faria algo. Os discípulos despertaram seu mestre lhe questionando se ele não se importava com a morte iminente de todos, e não pedindo sua ajuda. Creio que uma fé genuína em Cristo nos leva a crer que Ele sabe de todas as coisas, e que pode todas as coisas. Medo é um sentimento, é algo natural, mas ele não pode dominar nossa vida. Precisamos ter fé que o nosso Senhor está no controle daquilo que nós não estamos, Ele já nos socorreu tantas vezes, porque desta vez seria diferente? Falta-nos fé Nele.

 

 Parece simples, falando desta forma, mas não é. A nossa carne, o nosso eu humano falho e falta de fé são barreiras enormes para chegarmos a uma fé genuína, no entanto nosso Pai é fiel para cumprir Sua obra em nós (Filipenses 1:6). Se pedirmos com coração sincero Ele é generoso a ponto de nos capacitar para crescermos mais Nele e nos tornarmos mais parecidos com Ele. Será uma caminhada fácil? Certamente não, mas a cada tropeço, queda e desânimo, nosso Pai nos observa e torce por nós! Ele é o mais entusiasmado com o nosso crescimento espiritual, Ele fará de tudo para que tenhamos sucesso nesta jornada. Confie e siga ^^

 

 Para finalizar este texto, deixarei aqui uma “frase” que gosto muito: “Don’t worry. Be courageous. Be free.” podemos traduzir como: “Não se preocupe. Seja corajoso. Seja livre.” Bom, colega sei que será uma dura e difícil jornada, no entanto força! Estamos todos no mesmo barco hahaha.

 

Em amor, Dory ❤

A culpa do omisso

Olá amados habitantes marinhos! Como passaram as últimas duas semanas? Bom, o texto de hoje vai ser um pouco diferente 😉 é uma crônica! Já faz tempo que escrevi, e Deus me pediu para compartilhar com vocês, o nome é “A culpa do omisso”.

IMG_6191

“Um ônibus, todos os dias, o mesmo ônibus… O mesmo caminho de sempre… E igualmente as mesmas desculpas. E lá estava eu naquela manhã de segunda, meio amassada no meio de todas aquelas pessoas, me segurando na barra superior do veículo para não cair. Avistei um banco que fora recentemente deixado e me assentei nele. Encostei minha cabeça na janela e adormeci por 5 minutos. Então acordei com uma discussão entre duas passageiras. Uma era jovem, aparentava ter 23 anos. Já a outra tinha mais ou menos 40 anos. A mais nova estava num dos bancos na minha frente, que eram preferenciais. E estava sendo acusada de ser inconveniente, preguiçosa e outras coisas por não ceder o lugar… Foi então que eu percebi uma terceira personagem, um senhor de idade que expressava cansaço e por isso nem participava da discussão, ele apenas observava tristonho. Pelo jeito, não estava gostando de ser o assunto da discussão. Nunca disse que gostaria de sentar-se, e muito menos achava que a moça mais jovem devesse ceder o lugar. Na mente daquele senhor, creio eu, ele desejava apenas uma manhã mais calma.. Como não tinha nenhuma ligação com a história, resolvi ignorar tudo e observar a paisagem pela janela ao meu lado. As mulheres só pararam com a gritaria quando a mulher mais velha desceu do ônibus. Logo em seguida saí também.

Caminhei por aproximadamente 5 minutos até a escola. No portão, um homem de terno, com uma postura impecável, observava os alunos que entravam e pedia seus cartões escolares. Não o cumprimentei, apenas lhe mostrei friamente o papel plastificado enquanto caminhava. Entrei no prédio, subi as escadas e fui até o meu lugar de costume.

O dia se passou normalmente, assisti todas as aulas, anotei tudo o que era preciso e ao término das atividades, me despedi de meus colegas de classe. E então a jornada de volta, a mesma da ida, se iniciava. Fiquei pouco tempo no ponto de ônibus, pois incomumente ele chegou rapidamente. Entrei, e me direcionei até ao assento livre mais próximo. Pouco antes de chegar ao ponto perto de casa, passei pela catraca, nem olhei para o cobrador e já fui apertar o botão. Desci do ônibus, e fui em direção à rua para atravessá-la. Ao meu lado havia uma criança querendo atravessar, tentei não dar muita atenção à ela, mas não pude ignorar. Fui em sua direção e perguntei se precisava de ajuda, ela assentiu. Peguei em sua mão e atravessamos juntas. Quando chegamos do outro lado, a pequena me presenteou com um largo e belo sorriso e saiu andando. Não disse nenhuma palavra, mas conseguiu me ensinar muito. Quantos atos eu havia deixado de praticar durante aquele mesmo dia por falta de sensibilidade? Quantas pessoas eu havia deixado de impactar? Quantas vidas eu me recusei a doar um pouco mais de alegria, ou então, de bondade?

Ao chegar em casa, logo peguei um papel e uma caneta. Escrevi nele a minha lição do dia, pois não queria esquecê-la. Não queria mais perder a chance de transmitir a alegria que tenho em Cristo. Não queria mais me esquecer que a omissão é um erro, um pecado como qualquer outro que precisa ser tratado em mim.

E então naquela noite, dormi feliz, pensando no perdão que o Pai me concedeu, e imaginando as futuras vidas que eu poderia ter a chance de impactar… Uma pequena participação nas vidas que cruzassem com a minha.”

 

Bora conversar sobre isso? O que acharam de uma crônica? Tell me!!

 

Em amor, Dory ❤

Amigos, tesouros sem mapa

    Estava olhando minha listinha de temas para os próximos textos e este em especial me chamou a atenção, principalmente porque esse ano eu consegui sentir na pele o valor que uma amizade tem. Não que antes eu não valorizasse os meus amigos, muito pelo contrário, mas creio que esse ano pude ver um valor diferente, assim como quando relemos o nosso livro favorito, sempre tem algo novo que nos faz amá-lo ainda mais.

IMG_0729

    Okay, mas antes de tudo acho que precisamos de um conceito sobre amizade, não é mesmo? Para mim a melhor definição que encontrei foi na música AMIGO da banda Turma do Printy que é um grupo infantil (não sei, mas muitas vezes eu acho que as definições simples e infantis são as mais profundas e verdadeiras que encontro). Vou colocar abaixo a parte que resume melhor a música:

Amigo é aquele que está

Ao seu lado na hora da alegria

Falando palavras reais, que quebram a fantasia

Estejas no meio do ouro

Ou sentado na lama e no pó

O amigo é contigo e jamais te deixa só

    Acho que será mais didático se eu explicar por parte, vamos começar pelas três primeiras linhas, e depois das últimas três.

“Amigo é aquele que está ao seu lado na hora da alegria

Falando palavras reais que quebram a fantasia…”

    Quando ouvi a música pela primeira vez, essas duas frases me chocaram bastante, jamais imaginei que eu pudesse identificar um amigo pelas horas boas, sempre pensei que amigo fosse alguém que só seria “desmascarado” numa hora de aperto, mas na verdade o verdadeiro amigo é aquele que te diz verdades sem cerimônia alguma! Amigo é aquele que te deixa com os pés no chão, e te alerta dos perigos disfarçados de sonhos. Amigo é aquele que prefere te ver bravo com ele do que com lágrimas e um coração partido e frustrado.

E agora a segunda parte:

“…Estejas no meio do ouro

Ou sentado na lama e no pó

O amigo é contigo e jamais te deixa só”

  Neste trecho eu entendi que amigo é a pessoa que mesmo quando eu não tenho nada, ou mesmo quando eu tenho tudo, ele não sentirá inveja, muito pelo contrário, se alegrará comigo. Já nos dias de vacas magras, não medirá esforços pra te ajudar e te alegrar. Creio que essa parte seja um pouco mais “automática” de se pensar.

  Após toda essa longa explanação, você, meu caro leitor, já conseguiu avistar porque denomino um amigo como um tesouro, passemos agora para a parte do “sem mapa”.

  Algo que não possui um mapa é algo imprevisível, que aparece de surpresa. Não fazemos ideia de como e onde encontrarmos… Muitas vezes não reconhecemos os nossos achados como ‘amigo’, mas ao passar do tempo notamos que nos tornamos inseparáveis, não conseguimos mais deixar de rir por conta de uma lembrança boba ou então de derramar gotas de profunda tristeza ao vê-lo sofrer… Outras vezes já nos identificamos como almas gêmeas, irmãos de coração logo na primeira troca de sorrisos! Mas isso não impede que os pequenos ou grandes desentendimentos venham… Mas a amizade é isso, superar os grandes penhascos juntos, olhando para frente sempre e (sonhar) junto o sonho do outro.

os quais temos de guardar no fundo do nosso coração, caminhar juntos a dura jornada chamada vida e aceitar as diferenças e erros do outro. Por favor, não desista de uma amizade, você não tem noção do quão preciosa ela pode ser 😉

 

Dory ❤

Reconhecendo nossas limitações

 Olá queridos habitantes deste vasto oceano que chamamos de vida! Sentiram minha falta? Hahaha bom aqui está o primeiro texto do ano, e o primeiro texto de muito tempo. É… depois de tanto tempo, já estava triste por não estar postando nada por aqui. No texto de hoje gostaria de discorrer sobre o que eu aprendi nesse meio tempo em que estive “off”.

17838674_1277248712387798_850066865_o

 

Bom, quando eu cogitei a ideia de criar o blog, a ideia era criar um espaço onde eu “armazenaria” meus texto e estes estariam disponíveis às pessoas também. Estava animadíssima, e mais confortável para publicá-los, já que são longos. Costumava postá-los nas redes sociais, mas percebi que algumas vezes se tornavam incômodos. Mas antes de tornar tal ferramenta pública, me planejei quanto à frequência que os textos seriam postados e o tipo de assunto que eu abordaria. No entanto aos poucos vi que não poderia seguir com aquilo que planejei. Percebi que o tempo e os imprevistos quebravam com minha organização (a qual já não é tão boa por si só Hahaha) e que os assuntos que o Pai me pedia para redigir eram bem diferentes dos quais eu cogitei no início. Relutei, me reorganizei, mas vi que não se pode lutar contra aquilo que é perfeito… Vi que queria impor meus planos falhos sobre os planos perfeitos Daquele que me ama infinitamente pela Graça… Vi que o orgulho, o monstrinho que vivia nas profundezas do meu coração, aquele que eu escondia a todo custo, estava muito forte… Foi então que me rendi. E ao me render, finalmente abrir, ouvidos, mente e coração para o que Ele queria, percebi que o que Ele tinha era muito maior do que aquilo que eu mesma imaginava.  Na Bíblia mesmo vemos exemplos de pessoas que tinham seus próprios planos e quiseram impô-los ao Pai também, tais como Jonas que fugiu de Nínive, Moisés que matou o egípcio e tantos outros que cairam nesta mesma armadilha.

 Sei que não é de uma hora para outra que o coração se transforma, mas sei também que o nosso Senhor pode todas as coisas até me tornar uma nova criatura (2 co 5:17) E que nos protege com o Seu poder (1pedro 1:3-5) Ele só espera que eu me arrependa e peça a ajuda Dele.

 Queridos nadantes, deixou aqui então, um compartimento dos meus aprendizados com o Pai. Sinta-se a vontade para fazer o mesmo nos comentários =]
Dory ❤

O que acontece quando temos prova…

Olá queridos leitores marinhos, cá estou eu, Dory, para mais um texto neste blog! Estou postando um pouco mais tarde nessa semana, e gostaria de explicar aqui o motivo da minha ausência nos últimos tempos. Sei que tinha me comprometido a publicar um texto por semana, e em meu coração eu realmente o quero, entretanto neste final de ano estou prestando o vestibular, e por isso preciso me focar completamente nele. Gosto muito de escrever, por isso não quero deixar de escrever nesse meio tempo, um tanto quanto agitado da minha vida, por isso vou mudar a frequência que publico. Agora irei me programar para colocar um texto a cada duas semanas no ar, e assim não deixar de fazer o que amo.

Sei que ficará muito espaçado entre um texto e outro, mas peço paciência, pelo menos nesse período, e quero consolá-lo dizendo que é apenas uma fase. Quando tudo isso acabar eu volto a publicar uma vez por semana. Bom, tenho um texto quase pronto, e publicarei na quarta da semana que vem, e volto a publicar o próximo na outra semana, na segunda-feira mesmo.

Muito obrigada pela atenção, e por ler meus textos, fico realmente muito agradecida. Sei que passaremos por um tempo de escassez, mas aproveite para ler publicações antigas 😉 Por fim, encerro este pequeno aviso com muita gratidão aos novos leitores que têm encontrado este pequeno baú no meio deste imenso mar que chamamos de intenet e espero que goste.

Hugs, Dory

Só descomplica! <3

Deus fala com as pessoas, e isso independente de nós. Duro, porém verdadeiro. Mas se Deus fala aquém de nós, porque nos mandou pregar a todos até os confins da terra? Esse era um paradoxo que eu constantemente me encontrava, foi então que descobri que a resposta é mais simples e óbvia do que imaginamos. É porque Ele nos ama, quer que andemos com Ele, e tenhamos um relacionamento como Pai e filha(o).

A maior parte que nós complicamos sobre o evangelismo e como ajudar uma pessoa a caminhar junto a Cristo vem da nossa pouca fé no que o Pai pode fazer. Ficamos inseguros e queremos controlar tudo… Nos esquecemos que quem faz a obra é Ele e não nós, que quem convence é o Espírito Santo, e não nós. Ficamos tão focados no que a outra pessoa tem de entender, aprender, mudar e tudo o mais que esquecemos que há tempo para todas as coisas.

“Para tudo há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu”

Eclesiastes 3:1

Se plantamos uma semente de manhã, não esperamos que ela dê frutos ao anoitecer. É preciso paciência 😉

img_0647

 

A questão não envolve só o nosso relacionamento com os outros, mas também o do “eu com o eu”. Tenho passado por uma nova fase da minha vida onde tenho aprendido que tenho de ser paciente, saber que no meio das lutas irei cair, mas que a guerra já está vencida, pois o Senhor já a venceu. Assim como na música do MercyMe – Greater:

“There’ll be days I lose the battle
Grace says that it doesn’t matter
‘Cause the cross already won the war
He’s Greater, He’s Greater”

(Terão dias que eu irei perder a batalha, mas a Graça diz que isso não importa pois a Cruz já venceu a guerra, Ele é maior, Ele é maior).

 

Muitas vezes só temos que confiar que Ele está trabalhando em nós e que não estamos sozinhos nesta luta!

“Sempre tenho o Senhor diante de mim. Com Ele à minha direita, não serei abalado”

Salmos 16:8

O resumo desse texto é só… Não desista, só descomplique! Por causa da nossa mania de querer complicar tudo, de querer resolver tudo pelas nossas próprias forças, temos apenas que aprender a confiar no plano perfeito do Papai e que Ele vai resolver tudo na hora certa e sem nem um segundo antes nem depois. (NEM ANTES, NEM DEPOIS!) Que aprendamos a confiar plenamente nEle, principalmente quando não temos o controle sobre a “coisa” em questão.
Em amor, Dory

Sobre o meu sumiço do blog…

Oi gente! Tudo bem? Eu sei que estou devendo alguns textos por aqui… Mas ultimamente tem sido difícil escrever hehehe, mas para compensar já vou publicar o próximo texto nessa segunda (10/10). Espero que cada texto aqui posso estar impactando a sua vida de uma maneira especial 😉

img_0337

Hugs, Dory ❤

O que eu pensava sobre os adultos

Quando eu era criança, eu via os adultos como criaturas estranhas. Eles pareciam sempre muito sérios, não gostavam de brincar, e boa parte do dia eles parecia estar correndo com algo. Mas ao mesmo tempo eles pareciam tão certos de tudo, sempre sabendo o que falar, o que fazer e como fazer, sempre sabendo o que era certo. Eu achava que os adultos eram como super heróis, só que com alguns defeitos, tais como: Sempre chegar na casa das minhas amigas pra me buscar na parte mais legal da brincadeira, brigarem comigo e principalmente me mandarem ir dormir, mesmo quando eu ainda estava sem sono. Ainda pequena fiz uma promessa, ser uma adulta legal, ou seja, que não possui esses defeitos. E… É… Acho que falhei nisso hahaha.

Mas enquanto crescia, de ano a ano, eu começava a enxergar que adultos erravam o horário de ir te pegar na escola, que adultos às vezes ficavam em dúvida sobre o caminho a se seguir e o mais incrível, eles também sentiam MEDO! Não sei vocês, mas isso parecia algo inimaginável pra mim. E não muito tarde depois, percebi que eles ERRAVAM! “Que absurdo!” eu pensei, “adultos não podem ser adultos se erram!”. Mas a verdade é que com o tempo eu fui caindo na realidade, adultos eram humanos, eles possuíam defeitos e qualidades, erros e acertos…

Placeholder Image

Ao completar 18 anos (a pouco tempo) me toquei que era oficialmente uma adulta! E bem… Me senti um pouco insegura… E pensamentos como: “será que vou conseguir ir bem como adulta?” me perseguiram por algum tempo… Foi então que a paz veio sobre mim com a seguinte conclusão: Ser adulta não quer dizer saber tudo, muito pelo contrário!

 

Okay, vou explicar. Ser adulta significa, amadurecer a cada dia, aprender com os erros, superar os medos, não ter medo de pedir desculpas. Ou seja, ser adulta é tentar ser melhor a cada dia. Isso que fazia dos adultos que cercavam na infância serem tão diferentes pra mim.  Tudo bem que muitos deles cometeram erros comigo, muitos deles falharam e tals. MAS, o fato é: melhorar SEMPRE.

Agora pra encerrar, quero deixar duas coisas que levo pra vida:

  • Ser simples, like a child
  • Continue a nadar ~

 

Eu posso esquecer às vezes, mas são duas coisas importantes pra mim ^^

O primeiro de todos!

Pois é, depois de muito enrolar, acho que finalmente encontrei o dia certo pra começar um blog  😉

Well, vamos lá! Por enquanto ele será um lugar pra eu compartilhar os meus textos com quem quer ler algo hehehe mas quem sabe daqui um tempo ele não se apegue a um tema específico.

Nesta página da internet, você pode ter a liberdade que quiser. Aqui é a minha, sua, nossa casa. Podemos falar sobre várias coisas ~

Como é um post introdutório… acho que por enquanto está bom. Nos vemos por aí!

  • Post novo toda quinta às 19:30

See ya ❤

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: